A nova fábrica high tech da Omega

Marca suíça de alta relojoaria inaugura novo complexo com sistemas robotizados e produção unificada. Edifício projetado pelo japonês Shigeru Bah é sustentável também: é o maior do mundo feito com estrutura de madeira.

Cinco andares de alta tecnologia e sustentabilidade convivendo em prol da eficiência. Este o resumo da nova fábrica da marca de alta relojoaria Omega, inaugurada neste mês de novembro em Bienne, na Suíça. Com projeto assinado pelo arquiteto japonês Shigeru Bah, o complexo unificará todas as etapas de produção dos relógios em um só lugar.

Braços robôs atuam na linha de produção dos relógios

Apesar de ser reconhecidamente um processo artesanal, a linha de produção nesta nova planta da marca contará com um inédito sistema robotizado de gerenciamento de peças em estoque. São cerca de 30 mil caixas dispostas em três andares do prédio, com todos os itens necessários para a confecção de pulseiras e relógios. Para acessá-las, braços robotizados localizam o item pedido, retiram a caixa e a entregam a um centro de controle. Tudo em uma atmosfera que mais lembra um filme de ficção científica.
Um sistema inteligente de climatização garante a temperatura amena dentro do edifício. Outro ponto que chama a atenção no projeto foi o uso de madeira na estrutura, uma espécie de pinho. Segundo o arquiteto, este seria o maior edifício comercial do mundo a ter toda a sua estrutura de sustentação feita em madeira.

O CEO e presidente da Omega, Raynaud Aeschlimann, na inauguração

No evento de inauguração, no último dia 6, o CEO e presidente da Omega, Raynald Aeschlimann, esteve acompanhado do CEO do grupo Swatch, Nick Hayek, que é dentetor da marca. Segundo este, a nova fábrica é uma “grande conquista, que reflete a tradição em investir em novas tecnologias e excelência profissional, além do compromisso histórico da marca com os mais altos padrões da alta relojoaria.”

(Da Redação|SP)