Adieu, Colette!

Após 20 anos, a icônica loja conceito francesa – considerada pelos fashionistas como um dos endereços mais inovadores de Paris – fechará as suas portas em dezembro.

Uma das boutiques mais renomadas de Paris – e do mundo – anunciou que encerrará suas atividades no final deste ano. A Colette Paris, inaugurada em 1997, vai abrir suas portas pela última vez na Rue Saint-Honoré, no dia 20 de dezembro. Depois disso será só história.

Mix de produtos de moda, design, música e literatura fizeram a fama da loja

Em nota, a empresa anunciou que era tempo de Colette Roussaux, a fundadora, “descansar”. Nos últimos anos, a loja era comandada por sua filha, Sarah Andelman. Foi Andelman, aliás, quem trouxe à loja um mix de produtos fashion, de streetwear e de lifestyle, livros, discos, souvenires, itens exclusivos, bem como tornou o endereço uma plataforma de lançamento de novos talentos da moda – caso de Proenza Schouler, Christopher Kane e Simone Rocha. Graças a isso, o local tinha como clientes nomes do calibre do estilista alemão Karl Lagerfeld e Vanessa Friedman, a editora de moda do NY Times.
Nos bastidores, o espaço de três andares e 8 mil m2 passará a ser o novo endereço da marca Saint-Laurent na cidade. Espera-se que a maison de alta costura absorva os antigos funcionários da Colette.

A camiseta da discórdia entre a Colette e a Saint-Laurent Paris

Ironia do destino, Colette e Saint-Laurent tiveram um certo atrito em 2013. Na época, a loja online da Colette colocou à venda 300 camisetas com a frase “Ain’t Laurent Without Yves” (“Não é Laurent Sem Yves”), em referência à decisão do diretor criativo da YSL na ocasião, Hedi Slimane, de rebatizar a clássica label de alta costura. A paródia resultou em um pedido da Saint Laurent para a retirada imediata das camisetas do mercado e uma retratação pública de Andelman.

(Da Redação|SP)