As 100 maiores – e mais rentáveis

Relatório da Deloitte revela quais foram as 100 marcas de luxo que mais geraram negócios no ano fiscal de 2016. Juntas, elas movimentaram US$ 212 bilhões.

O relatório Global Powers of Luxury Goods, desenvolvido pela consultoria e auditoria Deloitte e apresentado no início de julho, revelou quais são as 100 marcas de luxo mais relevantes no âmbito dos negócios nos 12 meses anteriores até junho de 2016. Juntas, estas marcas geraram US$ 212 bilhões em receita, um resultado US$ 10 bilhões menor do que o aferido no ano fiscal anterior.
Dentre as 10 maiores empresas do segmento estão a LVMH (1o lugar), Richemont (2o), Estée Lauder (3o) e Kering (5o). A varejista brasileira Restoque aparece na lista pela segunda vez, no 74o lugar. É a única empresa do País listada no estudo.

As 10 maiores e mais rentáveis marcas de luxo em 2017 (Fonte: Deloitte)

A média de vendas destas 100 marcas ficou na casa dos US$ 2,1 bilhões, alta de 3% em relação à pesquisa anterior. O relatório focou em quatro categorias de produtos: itens ready to wear, bolsas e acessórios, joias e relógios, e perfumes e cosméticos. Dentre os destaques apontados pelos dados da pesquisa está a maior valorização da experiência de compra. “Com economias ligadas globalmente, é cada vez mais fácil adquirir um produto de luxo. Com isso, um atendimento diferenciado virou um grande ativo das marcas”, afirmou, em nota, Reynaldo Saad, líder da área de bens de consumo e industriais da Deloitte Brasil.

Capa do relatório da Deloitte. Clique aqui para ver o estudo completo.

Emergentes e turistas
A pesquisa da Deloitte reforçou o papel dos mercados emergentes nos resultados das marcas. Em países como a Rússia, os Emirados Árabes e a China, cerca de 70% dos entrevistados confirmaram que têm comprado mais luxury goods de cinco anos para cá. Nestes mesmos mercados, 60% afirmaram que compram principalmente quando estão em viagem ao Exterior ou nos aeroportos, reforçando o papel do turista no mercado de luxo global.

(Da Redação|SP)