Kering Group fecha 2016 no azul

 

Crescimento de 6,9% nas vendas e faturamento de US$ 13 bilhões são os destaques do balanço do conglomerado. Gucci puxou o consumo.

Dono das marcas Gucci, Bottega Veneta, Yves Saint Laurent, Balenciaga e Stella McCartney, o grupo Kering fechou 2016 com crescimento de 6,9% nas vendas globais. No total, foram US$ 13 bilhões que entraram no caixa das marcas. Apenas no último trimestre do ano passado, o aumento foi de 10%, o maior ritmo desde 2012.
Com faturamento de US$ 4,5 bilhões, a Gucci foi a marca mais forte do grupo: crescimento de 12,7% em relação ao resultado do ano anterior. As vendas nas lojas próprias cresceram 15% e as operações online 19%. O Japão se destacou como o principal mercado da marca, cujo diretor criativo é Alessandro Michele.

François Pinault, CEO da Kering: crescimento nas vendas do grupo em 2016

Quem ainda tem inspirado cuidados de François-Henri Pinault, CEO da Kering, é a Bottega Veneta. A marca italiana de artigos em couro viu suas vendas despencarem quase 10%. Segundo a análise do grupo, a marca sofre com a diminuição do fluxo de turistas na Europa – por conta dos atos terroristas ocorridos em 2016 – e da diminuição do consumo pelos viajantes chineses.
Pinault, no entanto, comemora a performance geral do grupo. “Nós continuamos a ganhar participação no mercado, como testemunhamos com as performances espetaculares da Gucci e YSL. Em 2017, em uma ambiente de incertezas políticas e econômicas, nós continuaremos a nos concentrar no crescimento orgânico de nossas marcas e no valor da criação, que intensificam o nosso atual momento.”

(Da Redação|SP)