LVMH recoloca Louis Vuitton nas gôndolas das perfumarias

Conglomerado de luxo decide lançar coleção de fragrâncias com o selo Louis Vuitton após 70 anos de ausência do mercado global de perfumes.

Chanel e Hermès que se cuidem. A marca mais importante deste triunvirato do luxo mundial, a Louis Vuitton, acaba de apresentar ao mercado a coleção Les Parfums Louis Vuitton, um lançamento que simboliza a volta da maison ao mercado de fragrâncias desde sua última incursão no segmento, em 1942. E o que esta notícia representa? Muita coisa.
A começar pela decisão de voltar às prateleiras das perfumarias após mais de sete décadas de ausência. Mais do que corrigir um delay histórico, a marca tenta abocanhar agora uma fatia neste segmento tão próspero.
Para se ter uma ideia, enquanto as vendas de artigos em couro cresceram modestos 2% em 2015, o setor de cosméticos super premium alcançou o dobro: 4%, um percentual que deverá se manter até 2020, segundo análise da Euromonitor. Em números totais, foram vendidos US$ 29 bilhões em fragrâncias no ano passado.

A Chanel, por exemplo, tem 50% do seu faturamento ancorado nos cosméticos e perfumes, algo em torno de US$ 3 bilhões. Na LVMH, 13% da receita anual vem dos cosméticos e perfumes de outras marcas do grupo, como a Dior e a Givenchy – cerca de 4,5 bilhões de euros (2015). Quanto à Louis Vuitton, é estimado que seu resultado de vendas totais – 8,5 bilhões de euros no ano passado – ganhe uma injeção de 450 milhões de euros ao final dos primeiros 12 meses de operação da divisão de perfumes. O próximo passo seria a criação de outras linhas de beleza, como batons e cremes, bem como o desenvolvimento de cases e nécessaires exclusivos (que é o DNA da marca) para acondicionar todos estes itens. Vale lembrar que o departamento de produtos de beleza e cosméticos da LVMH corresponde a 13% do faturamento total do grupo.

Notas de couro
A coleção Les Parfums Vuitton será produzida pelo atelier Les Fontaines Parfumées, na Provence, e conta com sete fragrâncias exclusivas, desenvolvidas pelo craque do setor Jacques Cavallier-Belletrud – o mesmo criador de best-sellers como o Acqua di Gió (Armani) e o L’Eau D’Issey (Issey Miyake). Veja o vídeo sobre a apresentação dele pela Louis Vuitton abaixo.

Em comum, os perfumes apresentarão combinações de aromas de flores e notas de couro. Isso mesmo: para trazer a identidade da marca que nasceu como fabricante de malas de viagem, o perfumista desenvolveu uma fragrância a partir do couro usado nas bolsas e bagagens da Vuitton (assista ao vídeo de extração da essência do couro na página Business Luxo no Facebook. Clique aqui). Os perfumes custarão a partir de US$ 240 (100ml) e já estão disponíveis nas 473 lojas da marca em todo o mundo.

br.louisvuitton.com

(Da Redação|SP)