“O terrorismo tem impactado pesadamente o turismo na França.”

axel-dumas-hermes

Axel Dumas

Para o CEO da Hermès, Axel Dumas, fluxo de turistas estrangeiros na França teve crescimento zero no primeiro semestre de 2016, causando efeito negativo nos seus negócios.

“O terrorismo tem impactado pesadamente o turismo na França.” A afirmação é de Axel Dumas, CEO da Hermès, em recente entrevista coletiva em Paris. Segundo ele, desde novembro de 2015, com a sequência de ataques terroristas em Paris, Bruxelas (Bélgica) e Nice, a chegada de turistas de outros países parou de crescer, o que  representa um enorme temor para as marcas de luxo como a Hermès, cuja parte importante do faturamento vem do bolso dos turistas que visitam as cidades francesas.
“Não vimos crescimento no fluxo de turistas e nem veremos enquanto o estado de emergência estiver prevenindo os clientes de virem para a França”, alertou o executivo. Após três ataques em três meses, o governo francês decidiu instaurar o estado de emergência na segurança do país.
O consumo na França representa 14% de todo o faturamento da Hermès. Entre abril e junho, as vendas da marca no país cresceram 9%, chegando a US$ 1,38 bilhão. Até o final do ano, a previsão é de crescimento de 12% nas vendas globais. Mesmo com a questão do terrorismo e o desaquecimento da economia chinesa – dois pontos cruciais no consumo de luxury goods no mundo em 2016 –, a companhia inaugurou em abriu sua 15a. fábrica, com 280 artesãos na linha de produção e capacidade para entregar 10 mil bolsas por ano. Tudo para tentar diminuir a lista de espera de seus produtos que, em certos mercados, pode chegar a 12 meses.

(Da Redação|SP)